Impacto da pandemia segue forte, mas pior momento pode ter ficado para trás

A sondagem da Indústria da Construção, realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que os impactos da crise causada pela pandemia de Covid-19 ainda são graves na indústria de construção. Apesar disso, o impacto foi menor em maio. Segundo o estudo, o nível de atividade da indústria da construção apresentou nova queda, porém mais restrita e menos intensa do que as verificadas em abril e março.

A pesquisa mostra que a utilização da capacidade operacional também recuperou parte da queda acumulada nos dois meses anteriores e que os empresários seguem projetando queda da atividade, novos empreendimentos e serviços, compras de matérias-primas e número de empregados nos próximos seis meses. Contudo, pelo segundo mês, consecutivo, há uma reavaliação das expectativas, de forma que o pessimismo continuou a se reduzir mas a intenção de investir segue baixa.

Segundo o levantamento, em maio, os níveis de atividade e do nível de empregados apresentaram nova retração, ainda como reflexo dos efeitos adversos do surto de coronavírus. Com isso, os índices seguem abaixo da linha divisória de 50 pontos,o que significa redução tanto na atividade como no emprego em relação ao mês anterior.

No mês, o indicador de evolução do nível de atividade chegou a 37,5 pontos no mês, tendo crescido 2,8 pontos na mesma base comparação.

Ainda  segundo o estudo, em maio, a Utilização da Capacidade Operacional (UCO) atingiu 53%, um aumento de três pontos percentuais frente a abril.

Fonte: http://www.revistaanamaco.com.br/impacto-da-pandemia-segue-forte-mas-pior-momento-pode-ter-ficado-para-tras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *